8 coisas da série”La Casa de Papel”, que mostram o quanto apoiamos o crime

Ação e suspense marcam a série “La Casa de Papel”, os episódios são surpreendentes e prendem o público.

A série gira em de um assalto genial, chamado o assalto do século, com o tempo começamos a achar tudo tão apaixonante que e chegamos a torcer para eles conseguirem roubar a Casa da Moeda da Espanha.

Confira!

Mesmo sendo criminosos, os detalhes marcantes da vida de cada um dos personagens do grupo faz com que criamos uma certa admiração, pois  cada um tem seus motivos para virarem criminosos.Desse modo conseguimos ver o que cada um dos personagens tem em sua essência.

Tokio (Úrsula Corberó) – Se tornou assassina após seu noivo morrer durante um assalto, momento difícil de ser superado, dessa forma entro de vez no crime, pois sua mãe disse que a entregaria.

O professor e os recrutas se tornam grandes parceiros conforme vão planejando o assalto, apesar das discussões, surge uma amizade sincera e lutam para ficarem unidos e pelas causas de cada membro do grupo.

O Professor (Álvaro Morte) de “La Casa de Papel”, realmente tem uma genialidade que conquista, planeja há anos os detalhes do assalto na Casa da Moeda, escolheu oito integrantes para executar todo plano, mas antes estudou as habilidades de cada um. Ele tem uma solução para cada detalhe e não deixa nenhum desamparado durante todo o plano.


O bando fica onze dias reclusos com 67 reféns, um número super alto e difícil de lidar, Rio (Miguel  Herrán) mesmo estando numa situação que deixaria todos com os nervos a flor da pele, consegue lidar com os prisioneiros de forma humana, tentando acabar com o desespero e estresse dos prisioneiros.

Nairobi (Alba Flores) tem papel fundamental, ela aconselha a refém adolescente Alison Parker (María Pedraza), sobre o bullying que enfrenta na escola e conquistar seus sonhos.

Moscou (Paco Tous) mostra o significado entre pai e filho e tenta proteger Denver (Jaime Lorente)  e faz de tudo para evitar que o filho se envolva em encrencas.

Denver é tem bom coração, pois Berlim pede que ele mate uma refém Mônica (Esther Acebo), uma das reféns,  ela não consegue e ainda esconde a mulher.

Oslo (Roberto García) e Helsink (Darko Peric) são os dois que ajudam nas operações.

O Professor se envolver em um romance com Raquel (Itziar Ituño), justamente a inspetora policial responsável pelo sequestro, além disso a inspetora sofre por ter vivido um casamento marcado pela violência doméstica.